Supermercados paulistas fecham o 1º quadrimestre com faturamento positivo

O acumulado de vendas do ano avançou 2,94%, demonstrando que aos poucos o setor se recupera da instabilidade econômica

supermercado-cheio-2

O faturamento real dos supermercados no estado de São Paulo (deflacionado pelo IPS/FIPE), no conceito de todas as lojas – que considera todas as unidades criadas no período pesquisado – obteve crescimento de 4,56% no primeiro quadrimestre de 2018 em relação ao mesmo período do ano passado.

No conceito de mesmas lojas – que considera as unidades em operação no tempo mínimo de 12 meses – o resultado foi de alta de 2,94% entre os primeiros quatro meses de 2018 ante o mesmo período de 2017.

“O fato de a Páscoa ter ocorrido em meses diferentes em 2017 e 2018 fez com que a análise do primeiro trimestre deste ano ainda não seja ideal para conferir o real desempenho do varejo alimentar. Porém, com estes resultados já se pode notar que realmente a recuperação da economia, ainda que lenta, aparece aos poucos para os supermercados”, explicou o economista da Associação Paulista de Supermercado, Thiago Berka.

indice-436734

Fonte: APAS

A avaliação comparável do primeiro quadrimestre

Houve no período aumento do ticket médio na ordem de 1,37% e, de unidades vendidas, aumento de 2,74%. “Concluímos que a estratégia e a quantidade de ofertas e promoções foram a forma de os supermercados tentarem manter seus faturamentos em patamares estáveis”, explica o economista.

Apesar do desemprego alto, cerca de 12,9% segundo os últimos dados do IBGE, a renda média subiu em relação ao trimestre móvel de fevereiro, março e abril em 0,8%. “Mesmo com cenário de ainda instabilidade econômica, a renda não caiu, o que contribui para a expansão do número de unidades vendidas nos supermercados. Os consumidores têm  conseguido comprar mais itens básicos ou, ainda, expandir o consumo para outros tipos de produto antes não integrantes na lista de compras”, diz Berka.

Ainda pelas análises da entidade, tanto a situação pós-greve dos caminhoneiros quanto a elaboração de tabela mínima do frete para transporte de cargas poderão mudar o cenário anual de crescimento de vários setores da economia, inclusive o de supermercados, já no próximo mês. “É necessário esperar o impacto duro que a greve e a questão do frete deverão ter no faturamento do setor em maio, o que pode implicar em uma quase estagnação de crescimento”, reforça.

Desempenho por Região

indice-2ds4f56

Fonte: APAS

Campinas e Grande São Paulo fecharam o período até abril com resultados semelhantes de 0,98% e 0,72%, respectivamente, enquanto o interior do estado encerra o quadrimestre com 4,30%.

Informações Adicionais – Outros Deflatores e Faturamento Nominal

O Faturamento Real dos Supermercados no estado de São Paulo (deflacionado pelo IPCA/IBGE), no primeiro quadrimestre 2018, no conceito de mesmas lojas, ficou com queda de 1,97%, no comparativo com o mesmo período do ano passado. No conceito de todas as lojas, apresentou crescimento de 0,43%.

O Faturamento Nominal dos Supermercados no estado de São Paulo, nos quatro primeiros meses de 2018, no conceito de mesmas lojas, ficou com aumento de 0,75%, em relação ao primeiro quadrimestre de 2017. No conceito de todas as lojas, apresentou subida de 2,33%.


Tags:


Notícias relacionadas


Últimas Notícias


menu
menu