Semana Mundial do Meio Ambiente: APAS destaca as ações e projetos ambientais em prol do setor


Em comemoração à Semana do Meio Ambiente, a APAS destaca alguns dos projetos e ações desenvolvidos pela área de Sustentabilidade, com foco nos temas escolhidos para serem trabalhados no Biênio 2016-2018: Pacto Global, Sustentabilidade na Cadeia do Abastecimento, Resíduos, Eficiência na Operação de Loja e Consumo Consciente. Veja abaixo:

Pacto Global

A APAS assumiu o compromisso de seguir os 10 princípios do Pacto Global e incentivar os associados para aderir à iniciativa das Organizações das Nações Unidas (ONU), com foco nas práticas de negócios, dos valores fundamentais e internacionalmente aceitos nas áreas de direitos humanos, relações de trabalho, meio ambiente e combate à corrupção.

Em outubro de 2016, a APAS renovou a participação como signatária do Pacto Global.

“A adesão por parte dos associados é uma oportunidade de mostrar as ações e disseminar iniciativas, o que, inclusive, proporciona o maior engajamento dos colaboradores”, explicou Esther Gonçalves, diretora de Responsabilidade Social da APAS.

Sustentabilidade na Cadeia do Abastecimento

O objetivo é disseminar a adoção de práticas mais sustentáveis, a partir da influência do varejo sobre os fornecedores e consumidores. Nos diversos encontros e reuniões, que contaram com a participação da APAS, foram abordados diferentes protocolos e iniciativas.

Em 2017, por exemplo, a APAS lançará um material de Orientação do Supermercadista na seleção de fornecedores, baseado em critérios socioambientais de sustentabilidade, que permitirá aos compradores conhecer desde os documentos de origem obrigatórios de certos produtos, até às plataformas para consulta de dados ambientais e de responsabilidade social de cada empresa.

Vale destacar também as ações conjuntas com a ABRAS, a partir do Programa de Rastreamento e Monitoramento de Alimentos (RAMA), e a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC), além da aproximação com as plataformas de monitoramento da cadeia de carnes das redes.

Resíduos

A atuação da área de Sustentabilidade foi pautada em acompanhar a aplicação das políticas relativas à gestão de resíduos e desenvolver soluções conjuntas para a viabilidade de aplicação, por meio da participação efetiva em reuniões de elaboração dos acordos setoriais em discussão, a fim de garantir a defesa dos interesses dos associados e do setor como um todo.

Destaque para a assinatura do texto final do Acordo setorial de pilhas e baterias, em dezembro de 2016, cuja discussão se estendia desde o início do ano passado.

“Os supermercados mantém a responsabilidade pela coleta, enquanto a indústria realiza a destinação final do material coletado”, explica Alessandro Ibiapina, diretor de Sustentabilidade da APAS e diretor dos Supermercados Tok Leve.

Outro Acordo de suma importância refere-se às lâmpadas, que, mais uma vez, assegura ao comércio a responsabilidade pela coleta, enquanto que para a indústria, a instalação dos coletores e destinação final dos produtos recolhidos.

A APAS também avançou nos acordos setoriais para a destinação ambientalmente correta de pneus inservíveis e eletrônicos, cujos termos ainda se encontram em discussão, e são acompanhados de perto pela área de Sustentabilidade.

Eficiência na Operação de Loja

Promover a maior eficiência na operação das lojas, com o objetivo de reduzir os impactos ambientais, riscos e custos, a partir de boas práticas na utilização de energia, água, emissões de CO2 e gases de refrigeração, também são nossos objetivos.

A APAS utilizou as Reuniões Abertas nas Regionais e Distritais para apresentar o cenário de energia, traçando um paralelo com o período de crise hídrica. O monitoramento passou a ser constante e, hoje, se transformou em notícias periódicas para apoiar o associado na melhor compreensão do segmento antes da tomada de decisão.

“A consultoria de gestão, uma ferramenta que a APAS disponibiliza aos associados, apoiou diversas empresas no processo de migração para o Mercado Livre de Energia, entre outras consultas, que visavam a implementação de ações para redução de custos com energia e eficiência energética”, explica Ibiapina.

A APAS ainda acompanhou projetos-pilotos e apresentações de novas tecnologias para a divulgação de soluções no setor, como, por exemplo, a troca de experiências e informações com as Embaixadas Britânica e da Dinamarca. Outro grande destaque foram os trabalhos no campo dos gases de refrigeração.

A proximidade da restrição de importação do R22, principal fluído frigorífico presente nos sistemas de refrigeração em supermercados, ampliou o debate sobre os fluídos alternativos, a partir de diversas reuniões e eventos, tais como o Workshop da Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (ABRAVA), além de simpósios com empresas fornecedoras, entidades de formação técnica e órgãos governamentais.

A participação ativa da APAS no Grupo Técnico de Proteção à Camada de Ozônio, liderado pelo Ministério de Meio Ambiente, contribuiu para a aprovação do texto na reunião de Kigali, em Ruanda, que estabelece as metas de corte dos HFCs (gases de refrigeração contendo hidrogênio, flúor e carbono) sem prejuízos aos sistemas já instalados – e não sobrepondo os prazos de eliminação do R22.

Além disso, a APAS acompanhou os projetos da Agência de Cooperação Alemã (GIZ) para a demonstração de soluções para contenção de vazamentos, que continuam em 2017, e junto ao IBAMA, apoiou a desburocratização do Cadastro Técnico Federal, exigido para aquisição de fluídos refrigerantes controlados pelo Protocolo de Montreal.

O setor ainda traçou o primeiro esboço no levantamento das emissões de CO2, de acordo com o Protocolo Climático do Estado de São Paulo.

“Realizamos a primeira pesquisa de emissões entre associados e os inventários do prédio da APAS e APAS Show. Além de conhecer os impactos, este inventário será uma ferramenta essencial para as boas práticas quanto ao consumo de energia e fluídos refrigerantes, que permitirá aos participantes da pesquisa, nortear as metas de desempenho”, afirma Ibiapina.

Consumo Consciente

 O tema estimula projetos que visam à orientação do consumidor e dos colaboradores para uma alimentação mais saudável e para o combate do desperdício de alimentos. A APAS apoia o desenvolvimento dos projetos, como o Mesa Brasil e o Save Food Brasil e, na área regulatória, acompanha a políticas públicas que debatem os assuntos.

A APAS Show 2017 também é responsabilidade ambiental

A maior edição de todos os tempos do evento, realizado de 02 a 05 de maio, no Expo Center Norte, em São Paulo, também contribuiu para os devidos cuidados com o Meio Ambiente.

 A APAS Show 2017 recebeu os Selos Sou Resíduo Zero (www.souresiduozero.com.br) e Evento Neutro (www.eventoneutro.com.br), a partir das seguintes ações e indicadores:

  • Redução de 30% da quantidade de caçambas de rejeito, comparado com o ano de 2016, e 41% ante 2015;
  • Compensação de 72,64 toneladas de CO2, com apoio financeiro aos projetos ambientais brasileiros certificados e auditados: Ecomapuá Amazon (REDD) e Cerâmicas Lara;
  • – Reciclagem de 219.793 kg de materiais como alumínio, plástico, papelão, retalhos de lona e madeira destinados à cooperativa de catadores de materiais, que resultaram no reaproveitamento de 68% dos materiais.

 


Tags:


Notícias relacionadas


Últimas Notícias


menu
menu