Publicidade

Delfim Netto profere palestra sobre economia mundial na APAS

O economista, professor, ex-deputado e ex-ministro Delfim Netto esteve hoje pela manhã (13 de março) no Espaço APAS - Centro de Convenções, na sede da Associação Paulista de Supermercados, em São Paulo, onde falou aos empresários do setor sobre economia e política no cenário nacional. A palestra, intitulada “O novo momento da economia mundial”, correspondeu ao “2º Encontros APAS - Café com Personalidade” promovido neste ano pela entidade – o primeiro ocorreu em fevereiro, com o também economista Juarez Rizzieri.
Na ocasião, o palestrante abordou temas atuais de política e economia relacionados ao setor de supermercados, identificando ameaças, oportunidades, bem como analisando as implicações da crise mundial a fim de provocar uma reflexão sobre o futuro do setor. O evento reuniu 230 supermercadistas e toda a diretoria da APAS, recebidos pelo presidente da APAS, João Sanzovo Neto; o vice-presidente João Carlos Galassi; o presidente do Conselho Deliberativo, Omar Ahmad Assaf; o presidente do Conselho Consultivo, Armando Peralta; e o vice-presidente de Relações Institucionais e deputado estadual, Orlando Morando.
A principal causa da crise, segundo Delfim, foi a queda de confiança da população. “Quando cai a confiança, o ‘cimento que constrói’ a sociedade, surge a deflação, a queda do preço dos ativos, a falência de instituições e a alta volatilidade cambial, motivos pelos quais os empresários costumam se defender, reduzindo compras e estoques em suas lojas. Mas vamos sair mais fortes dessa crise, que faz parte do sistema capitalista, a organização em que vivemos”, avalia.
Antônio Delfim Netto formou-se em Economia na USP - Universidade de São Paulo em 1952. Foi ministro da Fazenda nos governos de Costa e Silva e Médici no início dos anos 70, período conhecido como milagre econômico, e ministro da Agricultura e do Planejamento no governo João Figueiredo, de 1979 a 1985. Foi também deputado federal pelo Estado durante cinco mandatos.

Setor supermercadista
Em relação ao volume de vendas dos supermercados, Delfim não acredita que haja, neste ano, queda do faturamento nominal por conta da redução do PIB – Produto Interno Bruto, a soma das riquezas produzidas pelo País. “Se for mantida a projeção de inflação de 4,5% para este ano, o crescimento do setor ficará entre 3% e 7%”, acredita. Em 2008, o Índice Nacional de Vendas da Abras – Associação Brasileira de Supermercados ficou em 8,98%.
Para ele, a hipótese mais pessimista é de que o PIB per capita recue para -1,5% no ano, porém, o Brasil tem grandes chances de alcançar uma taxa entre 1,5% e 2% de crescimento em 2009. Para isso, o palestrante acha fundamental o governo reduzir os juros, facilitar o acesso ao crédito e se concentrar nos investimentos em infraestrutura.
Elton Pereira, diretor dos Supermercados Vitória, com duas lojas em Limeira (SP), participou pela primeira vez do evento e achou bastante positivo. “Como empreendedores, devemos aproveitar a crise para ousar na imaginação e inovação. A crise é uma oportunidade e o que precisamos é uma política de crédito séria com juros justos para dar suporte aos nossos negócios”, afirma.

Acesse aqui o conteúdo da palestra de Delfim Netto


imagens/destaques_home/130309/1_destaque.jpg


» Notícias