APAS: queda nos juros é condizente com o atual momento econômico

De acordo com a Associação, a redução é condição necessária para retomada do crescimento

Manutenção da taxa Selic: APAS acredita que atitude trava a economia e não contribui para os negócios

A avalia que a decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil em reduzir os juros básicos da economia, a taxa SELIC, em 1 ponto percentual, passando de 12,25% ao ano para 11,25%, sinaliza ao mercado a busca por uma retomada do crescimento econômico brasileiro no médio prazo.

Esta ação tem efeito contínuo, portanto, a redução de juros surtirá efeito até o início de 2018, o que está alinhado às expectativas de melhora no ambiente econômico e de negócios.

A redução dos juros para 11,25% ao ano não foi surpresa para a APAS, uma vez que a entidade acredita que o COPOM não pode perdera essa oportunidade diante de um cenário de inflação baixa.

“As taxas de juros reais no Brasil são altas e, diante de uma inflação mais moderada, o mais condizente é uma política de redução mais expressiva dos juros”, comenta Rodrigo Mariano, gerente de Economia e Pesquisa da APAS.

A expectativa nesse mês é de que a evolução dos principais indicadores de atividade do mercado interno e externo tenha, continuidade, de maneira lenta e gradual, sempre levando em conta as condições de mercado.

“A redução dos juros e as próximas trarão condições para que haja a retomada da economia brasileira e para que as taxas reais sejam mais condizentes com o ambiente favorável, a fim de proporcionar a realização de negócios no Brasil”, finaliza.



Notícias relacionadas


Últimas Notícias


menu
menu